7 de jul de 2011

OS extremos!


"As posições extremas não são seguidas de posições moderadas, e sim de posições extremas contrárias", falou Nietzsche.
 
UM DOS ENSINAMENTOS do Tao Te Ching diz o seguinte: A afeição extrema significa um grande desgaste e as posses abundantes, grandes perdas. Se você perceber quando tiver o suficiente, não entrará em desgraça. Se souber quando parar, nãoestará em perigo. Dessa forma, é possível viver muito tempo. O chamado “caminho do meio” é um dos pilares do budismo. Para Siddhartha Gautama, a felicidade e a ausência de problemas estão em saber encontrar o ponto equidistante entre o fácil e o difícil, o superficial e o profundo, o prazer e a dor.
Quem busca extremos corre o risco de passar da virtude à maldade, como adverte Nietzsche, já que as paixões costumam levar a ações desmedidas. Encontrar o equilíbrio no momento de agir não significa ter medo nem falta de iniciativa, mas alcançar um horizonte suficientemente amplo para entender que a verdade – e, o que é ainda mais importante, a conveniência – nunca será encontrada nas posturas radicais.
Como disse Aristóteles: “A virtude consiste em saber encontrar
o meio-termo entre dois extremos.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário